L’ULTIMA COSA CHE TI DEVO – LAURA PAUSINI – TRADUÇÃO

 

LETRA

Ho bisogno di te e di credere

Che l’amore che hai può resistere

Ma il silenzio che mi dai fa riflettere

Però ho bisogno di te, ho bisogno di te

 

Hai ragione anche tu, non so fingere

Ma l’amore che do sa distinguere

Il dolore più assordante dall’immagine

Che hai lasciato per me, che hai nascosto da me

 

L’ordine del tempo mi ha portato qui

A confondere un inganno con i brividi

Non vedi che te stesso ed io non posso darti meriti

Ma c’è una cosa che ti devo

L’ultima cosa che ti devo sono io

 

Hai bisogno di me, non puoi smettere

Ma l’amore che hai è invisibile

E il silenzio che mi dai lo sa descrivere

Non hai bisogno di me quando hai bisogno di te

 

L’ordine del tempo mi ha portato qui

A confondere un inganno con i brividi

Non cerco il compromesso che purtroppo non ti meriti

Se c’è una cosa che ti devo

L’ultima cosa che ti devo

 

Ora che il mio tempo mi ha portato qui

A pagare questo inganno con i lividi

Non vedi che te stesso ed io non posso darti meriti

Ma c’è una cosa che ti devo

L’ultima cosa che ti devo sono io

È un addio, addio

 

Dal silenzio che mi dai io voglio andarmene

Non hai bisogno di me, non hai bisogno di me

 

L’ordine del tempo si è fermato qui

Perché i giorni dell’inganno hanno limiti

Il bene che ho concesso non ammette sottotitoli

Questa è la cosa che ti devo

L’ultima cosa che ti devo sono io

È un addio, addio

 

Il silenzio che mi dai mi fa decidere

Non ho bisogno di te, non ho bisogno

Non ho bisogno di te, io non ho più bisogno

 

TRADUÇÃO (A última coisa que te devo)

Preciso de você e de acreditar

Que o amor que você tem pode resistir

Mas o silêncio que me dá me faz refletir

Mas preciso de você, preciso de você

 

Você também tem razão, não sei fingir

Mas o amor que te dou sabe distinguir

A dor mais ensurdecedora das imagens

Que você deixou para mim, que escondeu de mim

 

A ordem do tempo me trouxe aqui

Para confundir um engano com os arrepios

Não vê que você mesmo e nem eu posso te dar méritos

Mas tem uma coisa que te devo

A última coisa que te devo sou eu

 

Você precisa de mim, não pode parar

Mas o amor que você tem é invisível

E o silêncio que me dá sabe descrever

Você não precisa de mim quando precisa de você

 

A ordem do tempo me trouxe aqui

Para confundir um engano com os arrepios

Não procuro o compromisso que infelizmente você não merece

Se tem uma coisa que te devo

A última coisa que te devo

 

Agora que meu tempo me trouxe aqui

Para pagar esse engano com os hematomas

Não vê que você mesmo e nem eu posso te dar méritos

Mas tem uma coisa que te devo

A última coisa que te devo sou eu

É um adeus, adeus

 

Do silêncio que você me dá eu quero me distanciar

Você não precisa de mim, não precisa de mim

 

A ordem do tempo parou aqui

Porque os dias de engano têm limites

O bem que eu concedi não admite legendas

Essa é a coisa que te devo

A última coisa que te devo sou eu

É um adeus, adeus

 

O silêncio que me dá me faz decidir

Não preciso de você, não preciso

Não preciso de você, eu não preciso mais

 

Seja a primeira pessoa a comentar